Campanha - fase testagem e triagem 1-2-22

Quem está com sintomas gripais deve ficar em isolamento domiciliar

Em 08/02/22 10:32. Atualizada em 08/02/22 10:44.

Orientação do GT Saúde visa proteger comunidade universitária durante pico de casos de covid-19 

Campanha Cuidar de Si - Isolamento - Story - 8-2-22

A campanha “Cuidar de si é cuidar do outro!” de prevenção à covid-19 realizada pelo Grupo de Trabalho de Saúde (GT Saúde) da Universidade Federal de Goiás (UFG) alerta para a importância de cada membro da comunidade universitária ficar atento ao surgimento de sintomas gripais como dor de cabeça, dor de garganta, tosse, coriza, dor muscular ou outros. Nesses casos, o primeiro cuidado a ser tomado é o isolamento domiciliar, de no mínimo 10 dias. Essa medida é importante devido a volta do aumento dos casos do novo coronavírus em 2022, principalmente da variante ômicron, que é mais transmissível, nesta fase em que a Universidade se prepara para aumentar as atividades presenciais. O pico de transmissão da atual onda da pandemia está previsto para meados de fevereiro.

Em entrevista para o Portal UFG, a coordenadora da Triagem e Monitoramento de Covid-19 no GT Saúde-UFG, Larissa Matuda Macedo, faz um alerta sobre os cuidados que devem ser tomados quando o primeiro sintoma aparece. “No primeiro sintoma que a pessoa tenha, seja dor de cabeça, dor de garganta, tosse, coriza, dor muscular ou qualquer outro sintoma que seja sugestivo, a pessoa precisa ficar isolada em seu domicílio. O isolamento deve ser de, no mínimo, 10 dias. Se depois dos 10 dias, os sintomas persistirem, a pessoa precisa continuar isolada. Para quem está assintomático, o isolamento também deve acontecer, mas por um período de 7 dias. Aqueles que tiverem alguém em seu ambiente domiciliar com sintomas ou com diagnóstico confirmado de covid-19 também devem ficar em isolamento pelo mesmo período de tempo da pessoa com suspeita ou confirmada. Isso porque a ômicron tem uma capacidade de transmissão muito maior que as outras variantes, e na maioria das situações acaba infectando todos que compartilham o mesmo ambiente", explica. 

A coordenadora também destaca que é de extrema importância realizar a testagem a partir do terceiro dia ou até o sétimo dia de sintomas. Antes ou depois disso, as chances de receber um falso negativo, tanto no início da infecção quanto no término, são muito altas.

A triagem, a coleta, a testagem e o telemonitoramento dos casos suspeitos de covid-19 estão sendo oferecidos por representantes e voluntários das unidades de saúde da UFG. São elas: a Faculdade de Enfermagem (FEN), Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP), Faculdade de Farmácia (FF), Faculdade de Nutrição (Fanut) e Faculdade de Medicina (FM). O atendimento de triagem é feito de segunda a sexta, das 9h às 12h.

O serviço está previsto para ser oferecido até abril de 2022, mas, a depender do status da pandemia, da disposição dos voluntários e da avaliação do GT Saúde, a campanha pode ser estendida.

Para acessar o formulário, clique aqui. O link e informações adicionais também estão disponíveis no site da Retomada UFG

Ouça a entrevista que a Rádio Universitária fez com a coordenadora da Triagem e Monitoramento de Covid-19 no GT Saúde-UFG, Larissa Matuda Macedo, clicando aqui.
Saiba mais
​​COE UFG defende continuidade de medidas de prevenção à covid-19
UFG faz triagem e testes de covid-19 para comunidade acadêmica
Adiada ampliação das atividades presenciais
Centro de Eventos e FEN sediam campanha de incentivo à vacinação
Consuni aprova exigência do passaporte de vacinação na UFG
GT Saúde discute monitoramento da covid-19 no retorno presencial
Vacinar é cuidar de si e do outro

 

Fonte: Secom/UFG

Categorias: Notícias GT Retorno Presencial GT Saúde Cuidar de si é cuidar do outro