RT-LAMP UFG - 17-5-21

Mais de 900 pessoas da comunidade UFG fazem teste de covid-19

Em 20/05/21 14:46. Atualizada em 20/05/21 16:48.

Câmpus Goiás recebe o projeto Tenda Itinerante que vai utilizar protocolo UFG RT-LAMP em 21/5

RT-LAMP UFG - 17-5-21
Exames foram feitos no Centro de Eventos nos dias 13, 14 e 17 de maio

 

Texto: Versanna Carvalho

Fotos: Elisângela Lacerda (ICB/UFG)

Um total de 923 pessoas entre estudantes, técnicos administrativos, docentes e trabalhadores terceirizados da Universidade Federal de Goiás (UFG) fizeram testes de covid-19 nos dias 13, 14 e 17 de maio de 2021. O feito foi possível devido à união de esforços entre o Instituto de Química (IQ), Instituto de Ciências Biológicas (ICB) e a Faculdade de Enfermagem (FEN) da instituição. A procura de da comunidade universitária superou as expectativas iniciais, que era de cerca de 500 testes. 

Entre o grupo testado, 19 (2,06%) tiveram resultado positivo para a covid-19. Onze homens e 8 mulheres. A maioria (17) apresentava sintomas, mas 2 delas estavam assintomáticas. Dentre os casos positivos, 7 têm até 25 anos de idade, 6 entre 26 e 40 anos e 6 entre 41 e 60 anos. Nesta sexta-feira (21/5), o grupo vai testar a comunidade do Câmpus Goiás, das 8h às 12h.

RT-LAMP UFG - 17-5-21 (2)
Testagem ampliada exigiu esforços das unidades acadêmicas FEN, IQ e ICB

 

Parceria exitosa 

A professora do IQ, Gabriela Duarte, reforça que o todo o grupo ficou feliz por entregar o fruto da pesquisa desenvolvida na UFG para a comunidade universitária. "Ficamos muito orgulhosos deste trabalho. Muitas pessoas deram retorno parabenizando a equipe. A parceria IQ, ICB e FEN foi muito exitosa. Conseguimos atender rapidamente todos que procuram os testes. As pessoas receberam seus resultados no mesmo dia".

Gabriela relata que estão previstas novas testagens RT-LAMP na UFG no Câmpus Goiás, que vai ser realizada nesta sexta-feira (21/5). "Devemos ultrapassar os mil testes RT-LAMP para a comunidade UFG", destaca. 

RT-LAMP UFG - 17-5-21 (5)
Rafaela: muitos deixam de fazer o teste devido ao alto custo

 

Experiência única

"Uma experiência única" é como a pesquisadora do ICB, Elisângela Lacerda, resume a ação. "Me emocionava ao ver alunos que nunca puderam e não tiveram condições de poder realizar um teste para covid". Outro momento marcante para a professora foi quando liberou o resultado para um servidor "ele se sentiu aliviado pois há algumas semanas havia pego a doença mas não sabia se realmente estava livre do vírus".

"Com certeza a contribuição para a comunidade UFG foi grande e fez uma diferença enorme principalmente na vida das pessoas que chegaram totalmente sem sintomas e foram detectados com uma alta carga viral. O que só reforça que ainda encontramos pessoas totalmente assintomáticas circulando em ambientes, podendo transmitir o vírus. E a nossa ação pôde detectar essas pessoas e dentro de poucas horas depois da realização do teste avisá-las, evitando a transmissão para seus familiares e pessoas em torno", conclui Elisângela.

Mesmo afastada das redes sociais, para evitar o excesso de informações sobre o sofrimento da população diante da pandemia e da situação política e socioeconômica do Brasil, a estudante do Programa de Pós Graduação da Faculdade de Educação Física e Dança (FEFD/UFG) Rafaela acabou sabendo da realização dos testes pelo WhatsApp. "Eu acho que essa iniciativa é de suma importância para a comunidade, que não tem tanto acesso financeiro para esses recursos [fazer teste de covid-19]. De todo esse tempo que passou eu não tive a oportunidade de fazer o teste. Agora vou ter", comenta em entrevista para a professora Elisângela Lacerda.

RT-LAMP UFG - 17-5-21 (3)
Projeto Tenda Itinerante atendeu nos formatos drive-thru e pedestre

 

Tenda Itinerante

A FEN participou com a equipe do projeto Tenda Itinerante, um subprojeto do projeto Tenda Triagem Covid-19 UFG de 2020, que tem por objetivo testar e identificar casos suspeitos para o novo coronavírus e imediatamente encaminhar os casos positivos para isolamento domiciliar diminuindo a circulação do vírus e a propagação da doença, contribuindo para achatar a curva de contaminação. 

Para a testagem na UFG foi adotado o protocolo UFG para teste RT-LAMP de diagnóstico molecular da covid-19, desenvolvido por pesquisadores do IQ e do ICB. O teste RT-LAMP detecta a presença do RNA do vírus Sars-Cov 2 na fase da infecção ativa, na mesma janela do teste RT-PCR (3 a 10 dias de sintomas), podendo também detectar o vírus em portadores assintomáticos. O grande diferencial é que o resultado do exame fica pronto mais rápido, sendo liberado no mesmo dia. 

Saiba mais

UFG vai fazer testes de covid-19 em servidores e estudantes











Fonte: Secom UFG

Categorias: Notícias IQ FEN ICB Proec