Weby shortcut
Bandeira EUA
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
doctoral

Estudantes apresentam trabalhos no Reino Unido

Por Kharen Stecca. Criada em 13/07/17 12:00. Atualizada em 14/07/17 10:03.

Dois alunos da UFG estão entre os 15 selecionados dos 300 candidatos da Bolsa Santander

Nos dias 25 e 26 de julho, dois estudantes da UFG, um que concluiu o mestrado e uma doutoranda vão apresentar trabalhos na Doctoral College Conference na University of Surrey, no Reino Unido.  São eles: o estudante Lucas Brito, que realizou pesquisa de mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS/UFG) “Umbanda como um microcosmo antropológico da cultura brasileira” e a estudante de doutorado do Programa de Pós-graduação em Ciência Animal da Escola de Veterinária da UFG, Karla Braga, com o estudo “Ação do Extrato Etanólico da Casca de Pequi (Caryocar brasiliense) no Estresse Oxidativo em Células Endoteliais de Coração de Camundongo”. Eles receberam o Prêmio Santander Universidades e foram selecionados entre mais de 300 candidatos para participar da conferência na cidade de Guilford, condado de Surrey, no Reino Unido.

Karla Braga

 Karla Braga 

O estudo intitulado "Ação do extrato etanólico da casca de Pequi (Caryocar brasiliense) no estresse oxidativo em células endoteliais de coração de camundongo induzidas à lesão de isquemia e reperfusão", orientado pelo professor da EVZ, Eugênio Gonçalves de Araújo, tem por objetivo investigar o potencial terapêutico e antioxidante encontrado em um fruto típico do Cerrado Goiano, o Pequi (Caryocar brasilense). O Pequi possui alta concentração de fenóis, substâncias com capacidade de neutralizar moléculas de espécies reativas de oxigênio, processo este, que desencadeia o estresse oxidativo, observado em doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, uma das principais causas de morte mundial. Com este projeto, espera-se obter importantes respostas sobre o eventual mecanismo de ação antioxidante dos componentes do extrato etanólico da casca de pequi sobre células endoteliais de coração de camundongo.

Lucas Brito


Lucas Brito

O estudo "Umbanda como um microcosmo antropológico da cultura brasileira", deriva de pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS/UFG), sob orientação do professor Luis Felipe Kojima Hirano. A dissertação "O véu do congá de Pai Joaquim: Cosmovisão, Ritual e Experiência (Ou sobre três aspectos do conhecimento umbandista)" teve como escopo a religião umbandista enquanto tema privilegiado para se compreender não só as relações culturais que envolvem a concepção de que a Umbanda foi fundada no início do século XX, mas também a própria episteme que constitui o seu sistema cosmo-ontológico. Através da hipótese de que existem umbandas dentro de um movimento umbandista, buscou-se contribuir para as pesquisas futuras, relevando a multiplicidade, pluralidade e complexidade da Umbanda, a qual, assim como religiões afro-brasileiras outras, sofre diuturnamente uma horrenda intolerância religiosa por parte de alguns segmentos sociais.

Fonte : Ascom UFG

Categorias : Última Hora

Listar Todas Voltar