Reino Unido
noticia6914.jpg

Gilberto Gil e Macaco Bong surpreendem goianos

Em 24/11/10 07:41. Atualizada em 21/08/14 11:47.
Show foi parte das comemorações dos 50 anos da UFG e da programação do Festival Goiânia Noise

O ínicio da noite de domingo (21/11) no câmpus foi mais animado do que de costume. Estacionamento lotado e cerca de 4 mil pessoas aguardavam o show de Gilberto Gil e Macaco Bong.  A atração foi a última do ano integrante do projeto Música no Câmpus, além de ser parte da programação da 16ª edição do Festival Goiânia Noise e das comemorações do cinquentenário da UFG. Foram arrecadados alimentos não perecíveis, recolhidos na entrada.

“Esperem tudo do Macaco Bong e tudo do Gilberto Gil. Ao mesmo tempo não esperem nada do Macaco Bong e nada do Gilberto Gil”. Foi assim que Fabrício Nobre, sócio da Monstro Discos, presidente da Associação Brasileira de Festivais Independentes e diretor do Festival Goiânia Noise, definiu o show antes de seu início. E foi o que aconteceu. Quem esperava um show tradicional, se surpreendeu. “Tá um aqui multiplicando o que o outro faz”, ressaltou Fabrício Nobre.


Macaco Bong começou tocando um rock instrumental que balançou o público. Em seguida, Gilberto Gil entrou no palco cantando “Aquele abraço” para a alegria dos presentes que já estavam ansiosos pela entrada do cantor no palco. As duas atrações juntas foram novidade para a maioria do público goiano. “As músicas não estão em um ritmo ao qual estamos acostumados. Mas o resultado ficou legal”, comentou o estudante de Direito, Rodolfo Padovani, que prestigiou o evento.


Gil agradeceu a oportunidade de tocar na UFG e em Goiânia. “Eu já não encontrava o público daqui há algum tempo”, destacou. O cantor fez uma apresentação curta, mas intensa. Após se despedir ele voltou ao palco e desceu para o meio da plateia, repetindo a música "Palco", de sua autoria e cantada no início do show.



Gilberto Gil e Macaco Bong
- Esse show foi um dos três finalistas do Prêmio Bravo!, ao lado do de Maria Bethânia, a da Orquestra Imperial apresentando Caetano Veloso, Jane Birkin e o maestro de Serge Gainsbourg, Jean-Claude Vannier. É nessa busca do Macaco Bong que se inseriu o encontro com Gilberto Gil, ampliando mais e mais seus horizontes experimentais e expressivos. A parceria estreou no dia 14/11, em São Paulo, no espetáculo Futurível, celebrando o encerramento do Fórum Internacional Geopolítica da Cultura e da Tecnologia (com curadoria do próprio Gil e de Laymert Garcia dos Santos), e simultaneamente abrindo o  ll Fórum da Cultura Digital Brasileira, realizado na Cinemateca Brasileira.

Fonte: Ascom/UFG

Categorias: Música no Câmpus