Nicolas violão

Estudante da Emac vence o IV Concurso de Violão de Teresina

Em 04/08/22 13:53. Atualizada em 04/08/22 13:58.

Nicolas Porto é recém-formado no bacharelado em violão e concorreu com 5 candidatos na final 

Nicolas violão
Nicolas Porto saiu vencedor no primeiro concurso presencial após o início da pandemia

 

 

O estudante recém-formado do bacharelado em violão da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (Emac-UFG), Nicolas Porto, acaba de ser premiado com o primeiro lugar no IV Concurso de Violão de Teresina. O concurso integra o tradicional Festival de Violão de Teresina, em sua quinta edição, que ocorreu de 28 a 31 de julho de 2022. Além do prêmio em dinheiro, Nicolas recebe o convite para ser concertista no VI Festival de Violão de Teresina, em 2023, e no VI Festival de Violão da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), incluindo cachê e despesas pagas com hospedagem, passagem áreas e alimentação. O evento cumpre o objetivo de promover e aperfeiçoar a formação musical dos estudantes de violão ao oferecer, gratuitamente, cursos, workshops e masterclasses  e reunir artistas de várias regiões do Brasil e do mundo, propiciando o debate e a troca de experiências. Ao todo 26 candidatos se inscreveram no concurso. Desses, cinco concorreram na final. 

Esse foi o primeiro evento presencial de violão que Nicolas participou desde a pandemia. Ele ressalta que a participação em eventos remotos, como vinha acontecendo, exigia uma preparação focada também em questões audiovisuais e que agora é possível voltar a uma preparação mais tradicional. "Nós, enquanto participantes, precisamos nos adaptar às diferentes modalidades e fazer a preparação de acordo com seu melhor aproveitamento. Uma prova ao vivo e presencial mexe mais com o emocional, esse é um lado que procurei trabalhar; outra coisa foi a constância: sabendo do horário matutino das provas, eu procurei estudar no horário que poderia me apresentar para meu corpo se acostumar à sensação de tocar sem aquecer, o que se mostrou extremamente útil, já que fui o primeiro a tocar na semifinal e na final, sem muito tempo pra aquecer."

Para Nicolas, o prêmio é um grande incentivo para a continuidade de seus estudos. "Foi o primeiro evento presencial com violão que participei desde a pandemia e só por isso já seria motivo de grande alegria. Ter sido premiado com o primeiro lugar não seria a única forma de sentir que estou honrando todas as pessoas que me ajudaram de alguma maneira, mas é uma forma de coroar um estudo de, ao menos, 17 anos de violão. Para além dessas questões, recebo um prêmio financeiro e profissional significativos para o prosseguimento dos meus estudos e da minha carreira, o que foi a grande motivação de inscrição no concurso", afirmou.

O violonista também fez uma agradecimento especial ao professores que o acompanharam em sua trajetória. "Não posso deixar de agradecer aos professores Fabio Zanon e Eduardo Meirinhos. O contato deu-se com cada um em seu tempo, mas a contribuição que exerceram sob minha formação foi e é gigantesca. Sinto que sou privilegiado por ter sido aluno deles. O professor Meirinhos e a UFG têm um lugar especial em meu coração por todo o suporte humano e acadêmico que recebi em minha graduação, os resultados de seus alunos em concursos nacionais e internacionais ao longo dos anos vão o premiando e comprovando, ainda que ele não precise que se fale, a importância que ele exerce dentro de uma Universidade pública e no meio do violão", concluiu. 

 

 

Fonte: Ascom Emac

Categorias: Notícias Emac Orgulho de ser UFG