Logo_ProgramaEducacionalEmSaúdeDigitalUFG

UFG e MS capacitam mais de 11 mil profissionais em saúde digital

Em 23/11/20 12:12. Atualizada em 27/11/20 17:04.

Programa Educacional em Saúde Digital contava com 11.502 mil inscritos, distribuídos em todos os estados brasileiros até o dia 18/11

Fruto de uma parceria da Universidade Federal de Goiás (UFG) com o Ministério da Saúde, o Programa Educacional em Saúde Digital tem como objetivo promover a qualificação dos trabalhadores da saúde que utilizam a Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde na gestão e/ou atenção aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Até o dia 18 de novembro de 2020, já contava com 11.502 mil inscritos, distribuídos em todos os estados brasileiros.

Em 2017, a Estratégia de Saúde Digital para o Brasil foi definida pela Comissão Tripartite de gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) como uma das estratégias de melhoria consistente dos serviços de saúde no Brasil. Essa estratégia passava pela disponibilização e uso de informações de qualidade sobre os diferentes procedimentos e esferas do sistema brasileiro de saúde – de prontuários eletrônicos de pacientes a estrutura hospitalar.

Com intuito de colaborar com a implementação dessa Estratégia, o Ministério da Saúde firmou convênio com a UFG para o desenvolvimento do Programa Educacional em Saúde Digital, cujo principal objetivo é promover a qualificação da formação de profissionais e gestores de saúde para a implementação da Estratégia de Saúde Digital para o Brasil.

Essa ação educacional busca atender a necessidade de sensibilizar e preparar os profissionais e gestores do sistema de saúde brasileiro para a implementação da Saúde Digital no Brasil, em particular para o uso da Rede Nacional de Dados em Saúde (http://rnds.saude.gov.br/), a partir do reconhecimento de seus princípios, benefícios, da confiança e segurança para a sua utilização.

A capacitação dos trabalhadores do SUS foi iniciada com a oferta de três microcursos autoinstrucionais, ofertados na modalidade Educação à Distância (EAD), disponibilizados na Plataforma Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) e que adotam a abordagem da microaprendizagem (microlearning), sendo eles:

1. Trajetória da Saúde Digital no Brasil

O microcurso apresenta os principais conceitos e marcos da Saúde Digital no Brasil, assim como as principais diretrizes e regulamentações sobre o tema. Carga horária: 10h.

2. Rede Nacional de Dados em Saúde: o que precisamos saber?

A Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) é uma plataforma nacional de integração de dados em saúde. O microcurso tem como objetivo apresentar a estruturação do Programa Conecte SUS, com ênfase na RNDS, orientando os profissionais sobre as formas de acesso à Rede e fazendo com que os profissionais reconheçam a importância da RNDS, em prol do cuidado em saúde de forma integrada, contínua, eficiente e de qualidade. Carga horária: 15h.

3. Segurança e ética no compartilhamento de dados pessoais de saúde

O microcurso tem como objetivos sensibilizar os profissionais e gestores de saúde sobre questões relacionadas ao compartilhamento de dados, segurança, privacidade e confidencialidade de dados pessoais de saúde (Lei Geral de Proteção de Dados), além de fortalecer o papel do profissional de saúde no engajamento e conscientização do cidadão quanto à autorização do acesso aos seus dados pessoais de saúde. Carga horária: 15h.

O público-alvo dos microcursos são gestores municipais e estaduais de saúde; profissionais de saúde de nível médio ou superior, preferencialmente aqueles que compõem as equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) e utilizam prontuário eletrônico para os registros da informação em saúde; profissionais da tecnologia da informação e demais interessados no tema.

Os microcursos foram desenvolvidos pela Comissão de Governança de Informação em Saúde (Cgis/UFG) em parceria com o Centro de Inovação em Gestão da Educação e do Trabalho em Saúde (Cigets/Face/UFG) e até o dia 18/11/2020 já contavam com 11.502 mil inscritos e 3.556 concluintes, distribuídos em todos os estados brasileiros.

A Cgis (www.cgis.ufg.br) é um comissão vinculada à Reitoria que tem como missão contribuir para que a UFG seja um centro de referência em Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde (Tics). Coordenada pelas professoras Silvana de Lima Vieira dos Santos da Faculdade de Enfermagem e Renata Dutra Braga do Instituto de Informática. É composta por docentes das unidades acadêmicas da área de Ciências da Saúde, Face, Instituto de Ciências Biológicas, Musicoterapia e Instituto de Informática da UFG, servidores técnico administrativos, alunos de graduação e pós-graduação, além do Hospital das Clínicas da UFG, e por profissional da empresa Goit (especializada em certificação digital).

Já o CIGETS (www.cigets.face.ufg.br) está vinculado à Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas (Face). Tem como objetivo promover e realizar estudos e pesquisas na área de gestão do trabalho e da educação em saúde e em áreas correlatas. Ele nasceu e é constituído da atuação conjunta de três grupos de pesquisa: Laboratório de Pesquisa em Empreendedorismo e Inovação (Lapei/Face/UFG), o Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas ao Setor Público (Cepasp/Face/UFG) e o Laboratório de Inovação e Estratégia em Governo (LineGov/UnB).

Para mais informações e inscrições no Programa Educacional em Saúde Digital, acesse: https://cgis.ufg.br/p/32627-programa-educacional-em-saude-digital

 

Fonte: Face UFG

Categorias: notícias FACE