Casle.jpg

UFG é pioneira ao ofertar prova de leitura e suficiência e língua estrangeira online

Em 22/09/20 10:33. Atualizada em 22/09/20 17:26.

Procedimento de avaliação criado pela UFG vem servindo de modelo para outras IFES

Texto: Carolina Melo e Raniê Solarevisky

Ao longo da pandemia e da necessidade de isolamento social, o Centro de Avaliação de Suficiência em Língua Estrangeira (Casle) da UFG teve que se reinventar para continuar a oferecer à comunidade as ações de extensão na forma de convocações de provas de suficiência em línguas. Se, antes, tudo era realizado de forma presencial, desde à organização dos editais até a aplicação das avaliações, agora o Casle garante a oferta das provas totalmente online. O procedimento criado pela UFG foi um sucesso e vem servindo de modelo para outras instituições federais de ensino superior (Ifes).

O Centro oferece provas de Espanhol, Francês, Italiano, Inglês e Português como segunda língua (de surdos, indígenas e estrangeiros) para candidatos de programas de pós-graduação que precisam da declaração de Língua Estrangeira. Antes da pandemia, o programa atendia em torno de 200 candidatos por edital. Em seu primeiro edital na versão online, quase duas mil pessoas participaram do processo. “Pessoas esparramadas por todo o Brasil, de Norte a Sul, Leste a Oeste. E também tivemos casos de pessoas morando no exterior e realizando a prova do Casle”, conta a professora e coordenadora da Faculdade de Letras (FL) da UFG, Patrícia Roberta Machado.
Para a aplicação das provas do CASLE em junho, a equipe pedagógica do Centro Integrado de Aprendizagem em Rede (CIAR-UFG) criou e customizou salas no Moodle IPÊ para cada uma das cinco provas de língua estrangeira previstas, cadastrando o conjunto de questões de cada prova e inserindo os mais de dois mil participantes inscritos. Além disso, também garantiu suporte para a estruturação de procedimentos para a correção das avaliações, envio e resposta a recursos dos candidatos por meio do próprio Moodle e emissão de certificados online. Nesse momento, a equipe do órgão está desenvolvendo o mesmo trabalho para as provas que serão realizadas em outubro, paras as quais há cerca de 700 inscritos distribuídos entre as cinco provas disponibilizadas no edital.

A professora Patrícia destaca o pioneirismo da instituição. “Nós fomos os primeiros a fazer esse tipo de avaliação online. Após o primeiro edital, recebi inúmeros e-mails e contatos de outras instituições de ensino superior, especialmente federais, procurando entender como realizamos todo esse processo online”. Segundo a professora, atualmente, a UFG participa de um grupo em rede nacional com coordenadores de projetos que fazem a aplicação de prova de Língua Estrangeira para seleção de pós-graduação stricto sensu, onde compartilha sua experiência.


Procedimento

O primeiro edital online foi divulgado no mês de junho e executado com os recursos institucionais, desde o Gsuíte da UFG até a plataforma Moodle IPÊ do Ciar-UFG. “Fizemos cursos de capacitação para os fiscais e tutoriais para orientar tanto os fiscais como as bancas de correção das provas e também os candidatos”, conta professora Patrícia Machado.
O contato com os candidatos é realizado um dia antes da aplicação das provas. “Enviamos as orientações para a realização da prova por e-mail e, via agendamento, o link da sala de reunião. No dia da prova, os candidatos entram primeiro na sala de reunião com antecedência para a identificação realizada por fiscais e acesso ao link da prova”. Conforme explica a professora Patrícia, a realização da prova é gravada e fiscalizada o tempo todo.
“Atualmente, estamos trabalhando no investimento do projeto para dar continuidade a aplicação de provas online através de uma personalização de um plugin para aplicação das provas, que vai nos trazer ainda mais segurança para esse tipo de atividade”, conta professora Patrícia Machado.
Segundo o coordenador tecnológico do CIAR, Amilton Rogério, o órgão pesquisou por uma solução que atendesse melhor às demandas do CASLE e chegou a um plugin desenvolvido pela Universidade Federal de São João del-Rey (UFSJ), que repassou informações importantes para a equipe da UFG. “Construíram um plugin que é quase um sistema, já que tem muitos recursos. Ele está disponível no repositório da CAPES e pode ser utilizado por qualquer usuário do Moodle gratuitamente – e essa é a beleza do software livre”, explica.
O plugin facilita a elaboração e gerenciamento de provas e questões, aplicação e correção de provas, e ainda permite gerar gráficos estatísticos, tudo dentro do próprio Moodle. A equipe do CIAR trabalhou na hospedagem e testes de uma versão customizada do plugin, desenvolvida por uma empresa privada para adicionar ainda mais funcionalidades, como a realização de provas anônimas.

Para mais informações, acesse o site do Casle.

Fonte: Secom/UFG

Categorias: notícias FL