Reino Unido

Série de vídeos discute ensino e aprendizagem em tempos de pandemia

Criada em 07/04/20 16:56. Atualizada em 08/04/20 15:38.

Vídeos promovem reflexões pedagógicas e também abordam técnicas para serem utilizadas nesse período

A professora Fernanda Cunha da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás está produzindo uma série de vídeos sobre os desafios que surgiram aos professores no cenário da pandemia que estamos vivendo. A série de vídeos que está no YouTube discute temas que vão desde questões práticas tal qual fazer uma live no YouTube até questões teóricas como a resiliência ciberpedagógica.

Confira os episódios já publicados:

EAD: Quando patinho feio VIRA CISNE

A comunicação neste vídeo tem como objetivo centrar a atenção dos professores e professoras acerca deste momento agudização na atenção à EAD para dinamizar os processos de ensino e aprendizagem pela rede em razão da Pandemia que assola o mundo e também a nós brasileiros e brasileiras.
Situação esta em que se faz uso das tecnologias digitais pela rede, coloca a EAD em estado de destaque no ensino.
Assim, se levanta a questão de se promover um salto no processo de educativo - em todas as áreas de conhecimento - em que se privilegie a promoção do desenvolvimento da mente digital crítica de nossos alunos e alunos na áreas de conhecimento em questão.
Para tanto, nós educadores e educadoras devemos inserir a epistemologia da educação digital crítica, ao vislumbrar as tecnologias digitais no curso da comunicação e por assim dizer - da linguagem, ou melhor da Metalinguagem - como enaltece Manuel Castells no contexto da sociedade em rede.

Profess@r, como sair do isolamento, ao empreender seu conhecimento?

Neste vídeo busca-se a reflexão crítica acerca de ações pedagógicas digitais, as quais se sobreponham ao momento de isolamento em razão do coronavírus. Neste paradigma, enaltece a questão do tempo, ao analisar a (re)significação da cartografia do cotidiano, que nos coloca em engajamento com a vida, dada a natureza humana em que somos seres de contato. Então, a questão motriz deste vídeo: Como sair do isolamento, empreendendo seu conhecimento?

 

Como ensinar, com papel e caneta pela internet, sem sair de casa?

Este vídeo abre a série intitulada "DEScomplicando", em que se busca possibilidades sobre questões presentes nas ações docentes, as quais se estudará como podem ser dinamizadas pelos meios digitais para a educação em rede.
Para tanto, esta série apresenta uma proposição questionadora de um docente que indaga: "Como ensinar pela internet, utilizando papel e caneta?"
A partir desta questão apresentada pelo professor, busquei intensificar a questão, ao pensar em "como ensinar pela rede apenas com o que se tem em casa?"
Por este viés, enaltece-se ainda, a relevância dos processos educativos pela rede, em prol da autogovernança pedagógica de cada professor e professora.

Cuidado com transmissor do Coronavírus em suas mãos!

Neste sentido ainda vem a questão: Como limpar adequadamente - sem causar danos - nestes equipamentos? E destes quais devemos ter atenção especial redobrada para não se tornarem transmissor do Coronavírus em nossas mãos, ainda que higienizadas?

Resiliência Ciberpedagogica: Ações significativas aos nossos alunos

Buscar refletir com professores e professoras bem como com a comunidade educacional e nossa sociedade brasileira sobre a necessidade que se abre de modo agudo - no tempo do agora - dada a situação do coronavírus, que impede dentre tantas ações humanas presenciais - as aulas nas instituições de ensino.
Neste âmbito, analisar criticamente os caminhos acerca da transposição da tecnofobia pedagógica à Resiliência Ciberpedagógia pela promoção de ações educativas, que sejam [re]significativas para nossos alunos e alunas.
Este vídeo é resultado de uma situação expressa por uma mãe, em que caracteriza a realidade de muitos brasileiros: como ficam crianças e jovens sem aulas, sem seus afazeres da escola, restritos em seus lares?
Nós professoras e professores, enquanto entidades educativas, podemos buscar caminhos concretos de ações educativas pela rede, que possam entreter esses jovens num processo concomitante do desenvolvimento pleno que lhes é de direito.
Por que parar o processo de ensino aprendizagem nos tempos da contemporaneidade Ciber?
Sabemos que a escola sem professor e professora pára.
Sabemos que onde há professor, há processos de transformação. Cibercontinuemos.

 

Coronavírus: como continuar as aulas?

Com o coronavírus, como continuar lecionando?
Há a necessidade imediata de nós professores e professoras refletirmos profundamente sobre nossas ações pedagógicas com a utilização dos recursos midiáticos como intermediadores no processo de ensino e aprendizagem.
A linguagem digital está em consonância com a mente digital de nossos alunos e alunas da atualidade.
A tecnofobia pedagógica necessita ser superada para o tempo do hoje e para a contemporaneidade do amanhã.
Imagine como será a educação daqui a 3 anos? E daqui a 5 anos? E em 10 anos?

Fonte: Secom UFG

Categorias: Notícias Emac Coronavírus