Weby shortcut
Reino Unido
Palestra robótica

Palestra incentiva inovação pela robótica

Criada em 08/10/15 13:11. Atualizada em 09/10/15 11:23.

Uso de robôs na educação e em próteses foi citado como exemplo de inovação

Texto: Italo Wolff
Fotos: Camila Caetano

O Uso da Robótica na Formação em Inovação foi tema de palestra ministrada nesta quinta-feira (8/10), no Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal. Parte do Programa de Formação em Inovação da Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação (Prpi) da UFG, a palestra foi ministrada pelo professor da regional de Catalão, Marcelo Stoppa, que abordou o histórico da robótica, a robótica na indústria, a exploração espacial, no campo social e, principalmente, na educação e medicina.

Marcelo Stoppa acredita que “inovação é estar incomodado, fazer algo de forma diferente, eficaz, mais barata”. Segundo ele, robôs foram uma inovação criada, graças aos investimentos da indústria automobilística e da exploração espacial, para suprir o trabalho humano em situações de risco, insalubres, ou repetitivas. O próprio termo robô vem da palavra Robota, que significa trabalho forçado. Definidos pelo professor como um sistema automatizado dotado de movimento, capacidade de processamento e de notar o ambiente ao redor, os robôs tornaram-se essenciais para a sociedade e nos permitiram avanços em diversas áreas.  

Palestra robótica

Marcelo Stoppa explicou como os robôs podem revolucionar todas as áreas de atuação humana 

Robótica Educacional

Apresentando a robótica educacional, a área que tem maior afinidade, Marcelo Stoppa afirmou: “Quando se trabalha com robótica educacional, você mergulha na criança que existe em você. O que me estimula é isso. No mundo lúdico, o aprendizado parece ser mais imediato, mais natural. Se desenvolve melhor a capacidade criativa e de socializar”.

O professor expôs os projetos que conduziu na regional de Catalão, como o projeto Robótica na Zona Rural, na qual kits de robótica foram doados para colégios públicos de zona rural, os professores desses colégios foram qualificados e cursos de robótica computação foram dados aos alunos. Segundo o professor, notou-se uma melhora surpreendente nas notas dos alunos, não só nas áreas ligadas à matemática e física. O professor também falou sobre o projeto Meninas Jovens Fazendo Engenharia e Ciências Exatas que buscava incentivar o interesse de mulheres pelas áreas exatas, através de cursos para professoras e alunas de escolas públicas municipais. E o projeto Robótica no Ensino de Física, no qual equipamentos de robótica da universidade eram utilizados por alunos de colégio público para realizar experimentos de física.

Palestra robótica

A palestra esclareceu como projetos de extensão dão um entendimento melhor sobre a robótica para a sociedade

Proteses Robóticas para amputados

Marcelo Stoppa apresentou também seus projetos em Tecnologia Assistiva, relativos à próteses de baixo custo para amputados. Para o professor, preços mais baixos também são sinônimo de inovação, pois possibilitam o acesso do público que necessita destes produtos. Segundo ele, enquanto próteses robóticas no mercado custam em torno de cento e vinte a cento e cinquenta mil reais, é possível construí-las por dois mil e quinhentos reais. Esse preço mais baixo é possível graças ao uso de impressoras 3D, de plataformas de prototipagem eletrônica com código aberto e ao uso de materiais baratos. “É muito importante para crianças amputadas, por exemplo, pois estão em crescimento e necessitam de próteses novas de tempos em tempos” afirmou ele. As próteses construídas pelo professor são movimentadas por smartphones, por voz, ou por impulsos nervosos.  

Fonte: ASCOM

Categorias: Última hora robótica Palestra Proteses robóticas Educacão Regional Catalão