Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
Goiás tem seu primeiro projeto financiado pela Chamada INCT

Goiás tem seu primeiro projeto financiado pela Chamada INCT

Por Angélica Queiroz. Criada em 10/11/16 13:42. Atualizada em 10/11/16 13:51.

Coordenado pelo Pró-reitor de Pós-Graduação da UFG, José Alexandre Felizola, o projeto apoia pesquisas na área de Ecologia e Evolução

Texto: Kharen Stecca

O Comitê de Coordenação dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), definiu 101 projetos que receberão recursos no âmbito da Chamara INCT - MCTI/CNPq/Capes/FAPs 16/2014. Entre os selecionados está o projeto coordenado pelo Pró-Reitor de Pós-Graduação da UFG e professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), José Alexandre Felizola. O projeto selecionado é um instituto virtual em "Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade", que possui como objetivo principal apoiar projetos de pesquisa de ponta nessa área.

A proposta incluiu mais de 100 pesquisadores brasileiros (dos quais 58 são bolsistas PQ do CNPq) de 30 instituições de ensino e pesquisa do Brasil, além de cerca de 20 pesquisadores estrangeiros. Cerca de 30% dos pesquisadores são de Goiás, da UFG, UFG-Jatai, UEG, PUC-GO e duas unidades do IF-Goiano. A ideia, segundo o professor é desenvolver atividades de integração de pesquisadores e apoiar projetos de pesquisa nas três linhas de pesquisa do ICB, que são: padrões de diversidade em diferentes níveis de organização e escalas de tempo e espaço; adaptação, evolução do nicho ecológico e mudanças climáticas; e planejamento em conservação e uso sustentável da biodiversidade.

A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás e vice-presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Maria Zaira Turchi, e o presidente do Confap, Sergio Gargioni, integram o Comitê. O objetivo dos INCTS são desenvolver a pesquisa e criar patentes para o país. O programa é conduzido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e diversas fundações de amparo à pesquisa estaduais.

Selo INCT

Outro projeto goiano, coordenado pela professora Célia Soares também do ICB/UFG, foi recomendado e recebeu o selo INCT para busca de recursos. O projeto "Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estratégias de Interação Patógeno-Hospedeiro (IPH)" tem duração de 72 meses e será financiado pela Fapeg. O IPH tem como foco o estudo de patógenos de alta relevância no Brasil e outros países, particularmente da América Latina, como os agentes etiológicos da doença de Chagas e Leishmanioses, Paracoccidioidomicose, Esporotricose, Histoplasmose, Candidíase e Dermatofitoses. A prioridade do IPH é o desenvolvimento de pesquisa científica de fronteira acoplada à obtenção de novos alvos para terapêutica e diagnóstico de baixos custos dessas doenças.  

 

Fonte : Ascom UFG

Categorias : INCT

Listar Todas Voltar