Weby shortcut
Reino Unido
noticia5896.jpg

Centro de Referência em Oftalmologia da UFG realiza atendimentos na cidade de Confresa (MT)

Criada em 01/02/10 00:28.
Ações constituem um dos maiores projetos comunitários oftalmológicos já realizados no país

Dando continuidade a atendimentos de saúde realizados em outubro de 2009, uma equipe do Centro de Referência em Oftalmologia (Cerof) da Universidade Federal de Goiás (UFG), coordenada pelo professor da Faculdade de Medicina, Marcos Ávila, retorna à cidade de Confresa, Mato Grosso, nesta semana (dias 21, 22 e 23), para a segunda etapa do atendimento comunitário. De acordo com o coordenador Marcos Ávila, serão doados cerca de 1.200 óculos aos pacientes examinados da primeira etapa.

Além disto, serão realizadas cirurgias oculares dos pacientes que tiveram indicação cirúrgica. Todas as cirurgias serão realizadas no Hospital Municipal de Confresa. Para isso foi despachada para a cidade grande quantidade de equipamentos cirúrgicos de última geração, que serão utilizados pela equipe de 30 pessoas da UFG composta de médicos, oftalmologistas, anestesistas, enfermeiros e técnicos. Dentre as cirurgias estão previstas as de pterígio e de catarata nos três dias.

A ação foi possível após a assinatura de convênio entre a Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas da UFG (Fundahc) e a Prefeitura de Confresa. A iniciativa também tem o apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, da Associação Matogrosense de Oftalmologia e do Conselho Regional de Medicina do Mato Grosso.

Atuação do Cerof

Durante os últimos nove anos, o Cerof, ligado ao Hospital das Clínicas da UFG, tem desenvolvido campanhas de saúde ocular, contribuindo para a minimização do problema social da baixa visão na região em que atua. Criado no ano 2000, o Cerof realiza cerca de 18 mil procedimentos por mês. Com atendimento que cobre 24 horas do dia, em cuidados de urgência e emergência, ele dispõe de equipamentos de tecnologia de ponta para exames complexos. Suas instalações estão entre as melhores do país, com destaque para os programas de saúde pública, residência médica e pós-graduação.

O órgão desenvolveu uma metodologia própria para operacionalizar ações comunitárias de grande alcance, como as que hoje mantém no estado do Amapá, em uma comunidade indígena do Norte do Mato Grosso, com a  população dos 246 municípios do estado de Goiás, entre outros. Em média estima-se que foram atendidos nesse período, gratuitamente, mais de 1,3 milhões de pessoas por meio de projetos de extensão.

Ação comunitária em Confresa

A escolha da cidade de Confresa para o desenvolvimento do projeto comunitário deveu-se ao fato do local apresentar índice de saúde ocular muito abaixo dos níveis mínimos considerados. A cidade possui uma população de aproximadamente 17.200 habitantes e uma triagem preliminar, feita pelos profissionais locais, previu  atendimento oftalmológico a 1.500 adultos. Em virtude da grande demanda, em dois dias da ação comunitária realizada em 2009 foram atendidas 2.577 pessoas. Os pacientes não tiveram despesas com o atendimento. A Prefeitura de Confresa assumiu os gastos com o transporte da equipe da UFG e com a posterior doação de óculos.

De acordo com Marcos Ávila, os dados produzidos durante o atendimento foram devidamente registrados para compor estudo posterior, quando serão cotejados com informações demográficas (IBGE), índice de desenvolvimento humano (IDH) e variáveis socioeconômicas. Serão analisadas as principais causas de cegueira na região, definido o índice qualys (anos de vida com saúde) e inferido o impacto produzido pela melhora da acuidade visual sobre a qualidade de vida local.

Verificaram-se 563 casos de cegueira legal e/ou funcional (22% do total de indivíduos examinados). Um índice muito alto, quando comparado com regiões do Brasil desprovidas de assistência oftalmológica, onde registram-se um índice de 5%, em média. Destes, 282 casos eram de catarata (11% dos examinados), que é causa de cegueira irreversível.

 

Fonte: Ascom/UFG

Categorias: Projeto