Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
Inovação no setor farmacêutico

Oficina aborda inovação farmacêutica

Por Camila Godoy. Criada em 08/11/16 20:24. Atualizada em 08/11/16 20:26.

Evento promovido pela UFG em parceria com Academia Nacional de Farmácia também trouxe debate sobre propriedade intelectual

Texto: Camila Godoy

Fotos: Ana Fortunato

Ao se tratar do setor farmacêutico, inovação é um elemento chave. Por conta disso, a UFG, em parceria com a Academia Nacional de Farmácia (ANF), realizou uma oficina para tratar do assunto e abordar também o conceito de Propriedade Intelectual. O evento da coordenação de Transferência e Inovação Tecnológica ocorreu na manhã desta terça-feira (8/11), no Auditório da Biblioteca Central, e reuniu diversos estudantes, pesquisadores e profissionais interessados em conhecer e debater as oportunidades para inovação no segmento farmacêutico.

Segundo a professora da Faculdade de Farmácia da UFG, Eliana Martins, a universidade é um espaço estratégico para o debate. “Goiás se destaca no setor farmacêutico, com grandes empresas. Assim, sabendo que a sobrevida da indústria depende da inovação, precisamos despertar em nossos alunos esse olhar. Eles precisam ter vontade de desenvolver tecnologias para trazer produtos de qualidade para a sociedade. Obter caminhos até então nunca desbravados”, afirmou.
Inovação no setor farmacêutico
Eliana Martins destacou a importância do evento para a Universidade e para o futuro do setor no Estado

A primeira palestra da programação ficou a cargo do presidente da ANF, Lauro Moretto, que trouxe os principais marcos dessa temática e apresentou conceitos e definições de inovação. De acordo com ele, no contexto farmacêutico, inovar é produzir novidades, podendo ser desde o aperfeiçoamento de alguma prática ou produto até a criação de algo nunca antes pensado. “A inovação tecnológica é aquela implantada pelo setor produtivo por meio da pesquisa. No nível estratégico corporativo, inovação está relacionada a projetos da organização, à política e segurança, entre outros fatores”, explicou. Sendo assim, para o palestrante, inovar não é apenas ter intenção, é ter estrutura, segurança e incentivos.

Lauro Moretto também listou algumas atitudes que ele julga ser fundamental para quem quer inovar.  “A maioria de nós está acostumada a seguir ordens. O inovador tem que questionar, conversar e trocar conhecimentos. Não podemos ser pesquisadores fechados. Além disso, é importante procurar uma incubadora para ter suporte. Muitos desistem de alguma ideia na primeira dificuldade que enfrenta. Não podemos ser assim. É necessário motivação para transpor barreiras”, defendeu. Ele também abordou as diferenças dos conceitos de criação, invenção e inovação, explicando a necessidade de ir além do simples ato de ter uma ideia, tendo capacidade para transformá-la em protótipo ou serviço, pronto para ser consumido.

Inovação no setor farmacêutico

Presidente da ANF explorou conceitos e recordou histórico da categoria

 

Fonte : Ascom UFG

Categorias : Farmácia Inovação

Listar Todas Voltar