Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
Diretoria Andifes

Reitor da UFG assume cargo na Andifes

Por Caroline Pires. Criada em 05/08/16 08:36. Atualizada em 09/08/16 13:42.

Orlando Amaral assumiu cargo de segundo vice-presidente para o mandato de um ano na Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior

Tomou posse na sexta-feira (29/7), durante a CLIII reunião ordinária do Conselho Pleno, a nova Diretoria Executiva da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). O reitor da UFG, Orlando Amaral, assume o cargo de segundo vice-presidente para o mandato de um ano. A nova diretoria foi eleita por unanimidade dos dirigentes presentes no encontro, a chapa sucede a gestão de Maria Lucia Cavalli Neder, reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e traz representantes de todas as regiões do País.

Capitaneada pela reitora Ângela Maria Paiva Cruz (UFRN), como presidente, a nova diretoria tem ainda Paulo Márcio de Faria e Silva (UNIFAL), como vice-presidente, Paulo Afonso Burmann (UFSM) e Sueo Numazawa (UFRA) como primeiro e segundo suplentes, respectivamente. 

2016-07-29 ELEIÇÃO NOVA DIRETORIA ANDIFES (1)

Em seu discurso, a nova presidente destacou a importância da atuação coletiva da Andifes ao salientar que a Diretoria Executiva trabalhará como meio de interlocução. “Daremos continuidade às atividades deste colegiado, defendendo nossos princípios, lutas e diretrizes como instituição social que somos. Atuaremos sob a compreensão do momento político e econômico, mas na defesa da democracia, das Universidades Federais e da educação como eixo estruturante no processo de desenvolvimento do país”, disse Ângela.

De acordo com a presidente, a nova gestão da entidade deverá trabalhar bastante, sobretudo devido a conjuntura que o País atravessa, e lembrou da necessidade de transformar os Cefets em Universidades Federais. “Temos todas as condições para isto, já que estas instituições se configuram muito mais como Universidades. O que falta é apenas a caracterização de natureza jurídica, e nós vamos trabalhar para o governo compreenda esta necessidade”, completou.

Para o vice-presidente, Paulo Márcio o espírito desta nova gestão será mais estratégico. “Esperamos continuar trabalhando pelo coletivo para viabilizar soluções para os problemas que temos. O grande destaque será valorizar a nossa importância estratégica para o desenvolvimento da educação superior no Brasil”, disse.

Já Orlando Amaral, que cumprirá a função de segundo vice-presidente e já atuou como pró-reitor de Planejamento e Administração, vai agregar nas discussões permanentes sobre orçamento e financiamento.“Será um enorme desafio, sobretudo porque não sabemos como o tema será tratado pelo governo, por isso se faz necessário, nos fortalecermos como entidade para enfrentar e dar continuidade, em um cenário bastante adverso, em relação ao que tivemos nos anos recentes”, afirmou o segundo vice-presidente.

Já Paulo Afonso Burmann avalia que além do diálogo, a Diretoria Executiva deverá buscar a unidade e a autonomia da Andifes. “Para enfrentar e defender um projeto de ensino superior no qual todos acreditamos é preciso fortalecer nossas representações regionais e a participação delas nesse processo. Autonomia, unidade e diálogo é o que precisamos para a Andifes”, completou.

Na ocasião, a Diretoria Executiva 2015/2016 fez a transmissão de cargo e apresentou um balanço da gestão, destacando o diálogo com os diversos setores do Poder Executivo, Congresso, entidades de classe, as discussões de temas estruturantes para as universidades, as ações das comissões, colégios e fóruns ligados à Andifes.

 

Fonte : Andifes

Categorias : Última Hora Andifes

Listar Todas Voltar