Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
Profa. Raquel Cardoso

Biodiversidade para a alimentação e nutrição é tema de seminário

Por Camila Godoy. Criada em 18/05/15 18:38.

Valor nutritivo de alimentos consumidos no Brasil e a necessidade de valorização de alimentos regionais foram os assuntos mais discutidos

Texto: Silvânia Lima

Fotos: Caroline Almeida

VI Seminário de Agricultura Orgânica, realizado na última sexta-feira, 15/05, durante programação da XII Feira Agro Centro-Oeste Familiar, reuniu membros do Ministério do Meio Ambiente (MMA), da Faculdade de Nutrição (Fanut) da UFG e da Prefeitura de Goiânia para discutirem valor nutritivo de alimentos consumidos no Brasil e a necessidade de valorização de alimentos regionais. Na ocasião, palestrantes apresentaram projetos que prezam a biodiversidade para alimentação e nutrição.

A diretora de Conservação da Biodiversidade do MMA, Daniela Moura de Oliveira, foi uma das palestrantes no evento. Segundo ela, apesar de abrigar cerca de 20% da biodiversidade do planeta, grande parte dos alimentos consumidos no Brasil é restrita a derivados de algumas espécies. "Há um paradoxo, temos a maior biodiversidade, mas não a exploramos, e assumimos uma dieta cada vez mais restrita, simplificada", disse.

De acordo com a diretora, 95% da alimentação do brasileiro provêm de 30 cultivares, sendo em sua maioria, os cereais arroz, trigo, milho, milheto e sorgo. "Negligenciar os alimentos tradicionais é algo que impacta na nutrição e na segurança alimentar e leva problemas como a fome oculta. No Brasil, 50% da população adulta é obesa e uma em cada três crianças de 5 a 9 anos de idade estão acima do peso, sendo a principal razão o excesso de alimentos pobres em nutrientes", ressaltou.

Daniela Oliveira aproveitou a ocasião para apresentar o projeto desenvolvido pelo MMA, Biodiversidade para alimentação e nutrição, que acontece em nível nacional e visa a promoção do diálogo entre a nutrição e outras áreas, como a agricultura. Segundo ela, o projeto visa resgatar o conhecimento tradicional para ampliar os benefícios nutricionais derivados da biodiversidade agrícola.

Para Julcéia Camillo, também consultora do MMA, o objetivo do projeto é melhorar a documentação, o cultivo, a diversificação de produtos, consumo e mercado, além de ampliar a conscientização pela valorização das espécies e preparos locais e regionais. A consultora destacou que, com a geração de novos produtos, a agricultura familiar também diversifica seu portfólio.

Projeto na UFG

A professora da Fanut, Raquel de Andrade Cardoso Santiago, apresentou o trabalho desenvolvido na UFG no âmbito do projeto Biodiversidade para alimentação e nutrição. “A partir de 60 frutíferas do Cerrado, elegemos 15 espécies para estudar sua composição nutricional”, explicou. Segundo ela, o caju-do-cerrado, a pera-do-cerrado, o baru, buriti, pequi, murici, gabiroba, jatobá, cagaita, araticum, araçá, maracujá-do-cerrado, coquinho, jenipapo e mangaba são as espécies estudadas pela equipe da Fanut.

 Profa. Raquel Cardoso

Raquel de Andrade Cardoso Santiago apresentou trabalho desenvolvido na Fanut

 

A professora falou sobre outra importante vertente do projeto que consiste no desenvolvimento de ações educativas para incluir frutos regionais na alimentação escolar. Para tanto, sua equipe tem ministrado cursos para merendeiras, nutricionistas e a comunidade em geral. “O objetivo é melhorar a percepção quanto aos alimentos regionais”, informou.

Conhecendo as plantas

Os participantes do VI Seminário de Agricultura Orgânica também tiveram a oportunidade de conhecer melhor algumas plantas consideradas ricas por reunirem diversas vantagens do ponto de vista de cultivo e de nutrição. Ao discorrer sobre a taioba, a moringa, a ora-pro-nobis, a neem, entre outras, o engenheiro agrônomo Adib Francisco Pereira, diretor do Departamento de Agricultura Familiar da Prefeitura de Goiânia, distribuiu partes das plantas citadas entre os presentes, que puderam tocar, cheirar e até experimentar o sabor de algumas delas.

Após as palestras, todos foram convidados a degustar quitandas e bebidas feitas a partir de receitas com frutos do cerrado, na tenda gastronômica Frutos do Cerrado.

Tenda gastronômica do Cerrado na Agro Centro-Oeste Familiar

Tenda gastronômica reuniu participantes para conhecerem alimentos preparados com frutos do cerrado

Fonte : Ascom UFG

Categorias : Última hora Destaque Nutrição frutos do cerrado Seminário

Listar Todas Voltar