Weby shortcut
Reino Unido
prestação de contas

Gestão da UFG presta contas à sociedade sobre ações de 2014

Por Serena Veloso Gomes. Criada em 12/12/14 12:12. Atualizada em 13/12/14 10:54.

Ampliação da graduação e pós-graduação, aumento do número de estudantes e expansão da universidade foram alguns dos pontos apresentados na reunião

Texto: Serena Veloso

Foto: Carlos Siqueira

 

O reitor da UFG, Orlando Amaral e representantes das Pró-reitorias apresentaram na manhã de ontem, 11 de dezembro, o balanço das realizações da gestão da universidade em 2014 aos representantes da sociedade civil, durante a quinta reunião do Conselho de Integração Universidade-Sociedade (Cius), realizada no auditório do Centro Regional para Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CRTI).

Com o objetivo de ouvir a sociedade e esclarecê-la sobre as ações desenvolvidas pela universidade, durante o conselho foram mostradas as mudanças pelas quais a UFG passou nos últimos oito anos, com os investimentos do Governo Federal por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). A iniciativa, com o intuito de ampliar o acesso e permanência de estudantes nas universidades brasileira, possibilitou que a UFG dobrasse o número de alunos – que passou de 13 mil, em 2006, para 25 mil, em 2014 – e de professores. Outro benefício foi a ampliação do número de cursos de graduação, que somaram 152 em 2015, e de pós-graduação, atualmente com quase 100 cursos e 70 programas.

Conselho de Integração Universidade-Sociedade

Para reitor da UFG, Orlando Amaral, o momento de prestação de contas é importante para o fortalecimento dos laços entre universidade e sociedade

Os recursos também foram destinados à construção de novos prédios e espaços para atividades de pesquisa, ensino e extensão, dentre eles o Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal, onde ocorrem as colações de grau de forma gratuita para os formandos da UFG, a Biblioteca Central do Câmpus Colemar Natal e Silva, o Núcleo Takinahaky, onde são realizadas as aulas do curso de Licenciatura Intercultural, o Centro Cultural UFG e o Centro de Esportes Câmpus Samambaia, recentemente inaugurado.

Segundo o reitor da UFG, Orlando Amaral, a expansão da Universidade para as cidades do interior também foi uma das importantes metas atingidas com o Reuni para tornar mais acessível à educação superior no país. “Sempre foi um problema grave o êxodo de jovens para as capitais por não ter uma universidade pública de qualidade no interior”, declarou. Para isso, ele destacou a parceria fundamental entre universidade e prefeituras, como ocorreu em relação ao crescimento das Regionais Catalão, Goiás e Jataí.

Plano Nacional de Educação         

Com a aprovação, em 2014, do Plano Nacional de Educação, um novo desafio será lançado às instituições de ensino superior para que haja a ampliação do número de matrículas, principalmente no ensino público. Orlando Amaral ressaltou que a meta colocada pelo governo é 33% dos jovens entre 18 e 24 anos estudem em universidades públicas ou particulares até 2024. Para viabilizar a permanência de estudantes de baixa renda na graduação, o Plano Nacional de Assistência Estudantil tem oferecido apoio por meio de bolsas de alimentação, moradia, transporte, saúde e outros quesitos socioeconômicos. Em 2014, a UFG recebeu R$ 16 milhões em recursos para assistência estudantil e para 2015 estão previsto R$ 28 milhões.

Conselho de Integração Universidade-Sociedade

Secretário de Indústria e Comércio de Jataí, Amilton Martins Gonçalves, propôs parceria com a UFG para a estruturação do parque tecnológico do município

O incentivo e fomento à pesquisa e às ações de extensão e cultura também estiveram entre as preocupações da gestão. “A UFG foi, neste ano, a segunda entre todas as universidades públicas na aprovação de projetos pelo edital do Programa de Extensão Universitária”, comemorou, mostrando ainda algumas das ações de extensão como o Projeto Música no Câmpus. As bolsas de iniciação científica, que atualmente totalizam 819 nas diversas modalidades, também incentivam os alunos na participação das pesquisas.

Demandas sociais

Dentre as pautas discutidas por representantes da sociedade civil, foram colocadas a necessidade de ampliar o quadro de servidores técnico-administrativos na Universidade e de estreitar parcerias com a iniciativa privada nas áreas da indústria, tecnologia e inovação. A atual crise dos cursos de licenciatura e a relação com a situação do ensino básico no país também integraram a discussão. O reitor comentou a importância da retomada do Fórum de Licenciaturas para proposição de medidas para aumentar a demanda pelos cursos, possibilitando a formação de novos professores para a rede de ensino.

Conselho de Integração Universidade-Sociedade

Ações para promoção do respeito às diferenças e garantia do direito à diversidade foram elogiadas por representantes da sociedade

Outro ponto celebrado na reunião foi a efetivação das políticas de cotas, o que tem tornado a Universidade mais inclusiva. Além da reserva de 40% das vagas para estudantes de escolas públicas no Processo Seletivo 2015/1, o pró-reitor de Graduação, Luiz Mello, anunciou que está em fase de aprovação o sistema de cotas raciais para o processo de seleção dos cursos de pós-graduação.

 

Fonte: Ascom UFG

Categorias: Reunião Conselho de Integração Universidade-Sociedade última hora