Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG
UFG recebe professores de Portugal

Professores da Universidade de Lisboa visitam a UFG

Por Camila Godoy. Criada em 09/06/14 18:43. Atualizada em 21/08/14 11:47.

Belmiro Gil Cabrito e Maria Luisa Cerdeira trouxeram dados e experiências do ensino superior de Portugal

Texto: Camila Godoy

Fotos: Carlos Cirqueira

Na tarde desta segunda-feira, 09/06, a Universidade Federal de Goiás (UFG) recebeu os professores Belmiro Gil Cabrito e Maria Luisa Cerdeira, ambos do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Os docentes compartilharam com membros da comunidade acadêmica da UFG a atual conjuntura do ensino superior em Portugal. O encontro foi na Sala 1 de Reuniões do Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal.

Para iniciar a conversa, o reitor Orlando Amaral apresentou as principais características vivenciadas pelo ensino superior brasileiro, em especial, pela UFG. O reitor falou sobre o programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), responsável pela ampliação do acesso e permanência de estudantes na educação superior brasileira. A apresentação foi o ponto de partida para que a professora Maria Luisa Cerdeira apresentasse dados e análises sobre a realidade do ensino de Portugal.

Professora Maria Luisa Cerdeirada, reitor Orlando Amaral e o professor Belmiro Gil Cabrito  falam sobre características do ensino superior do Brasil e de Portugal

Professora Maria Luisa Cerdeira, reitor Orlando Amaral e o professor Belmiro Gil Cabrito  falaram sobre características do ensino superior do Brasil e de Portugal

Maria Luisa Cerdeira foi chefe de gabinete, pró-reitora de Assuntos Internacionais e administradora da Universidade de Lisboa. Sua fala foi marcada por dados históricos sobre como a Europa iniciou o Processo de Bolonha. De acordo com a professora, este processo é fruto de um compromisso político firmado por 48 países e pela comissão europeia, que procura harmonizar o ensino superior europeu, estabelecendo estrutura de graus, métrica, linguagem e documentação comuns a todos os países comprometidos, e, assim, aumentar o número de estudantes e da mobilidade estudantil.

Professora Maria Luisa Cerdeirada, da Universidade de Lisboa

Professora Maria Luisa Cerdeira, da Universidade de Lisboa

Maria Luisa Cerdeira também trouxe um panorama contemporâneo sobre esse processo. De acordo com ela, a reestruturação do ensino, proposto pelo Processo de Bolonha, foi inspirado no Reino Unido, que possui maior flexibilidade na grade curricular e cursos mais curtos, divididos em ciclos, mas o projeto ainda apresenta falhas. "As principais críticas apontam que a mobilidade estudantil, bastante almejada pelo processo, ainda é pequena e elitista", destacou.

Com outra abordagem, Belmiro Gil Cabrito trouxe diversos aspectos sociais do ensino superior em Portugal. Em suas análises, ele se preocupou em descobrir as origens sociais dos jovens que estão nas universidades. Isso porque, de acordo com o professor, este quesito está fortemente ligado à escolha dos cursos. “O ensino superior em Portugal ainda continua majoritariamente elitista”, afirmou.

Professor Belmiro Gil Cabrito aponta características sociais dos estudantes do ensino superior em Portugal

Professor Belmiro Gil Cabrito apontou características sociais dos estudantes do ensino superior em Portugal

Belmiro Gil reconhece o esforço e os avanços alcançados por Portugal nos últimos 50 anos, para aumentar o número de estudantes no ensino superior. Mas, para ele, diversos problemas, incluindo a política de austeridade vivenciada por toda a Europa, dificultam a entrada desses jovens recém-formados no mercado de trabalho. Além disso, para o professor, a falta de investimentos também se tornou um forte empecilho que culmina na redução do número de estudantes.

Fonte: Ascom UFG

Categorias: seminário Universidade de Lisboa última hora