Weby shortcut
Reino Unido
Universidade, CRR e Intervenção Social

Seminário reúne diversos interessados em estudos sobre drogas

Por Camila Godoy. Criada em 09/05/14 15:26. Atualizada em 21/08/14 11:47.

Universidade, CRR e Intervenção Social foi tema de evento que reuniu pesquisadores e promoveu conferência, mesa-redonda e oficinas

Texto: Camila Godoy

Fotos: Carlos Siqueira

Membros da sociedade e da administração pública, estudantes, docentes e técnico-administrativos da Universidade Federal de Goiás (UFG) se reuniram nesta sexta-feira, 9 de maio, para o Seminário Universidade, CRR e Intervenção Social. O evento foi organizado pela coordenadora do Centro Regional de Referência para formação permanente sobre drogas (CRR), Tania Maria da Silva, e teve conferência, mesa-redonda e oficinas.

Participaram da programação o secretário Vitore André Zilio Maximiano, da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad); a professora Maria Fátima Olivier Sudbrack, presidente da Associação Brasileira Multidisciplinar sobre Drogas (Abramd); Eriberto Bevilacqua Marino, presidente da Comissão da Política Institucional sobre Drogas na UFG, e Giselle Ottoni, pró-reitora de Extensão e Cultura, representando o reitor da UFG, Orlando Amaral.

Seminário Universidade, CRR e Intervenção Social

Coordenadora do CRR, Tania Maria da Silva recebe os participantes do evento

O seminário também marcou o encerramento do 2º Ciclo de Atividades dos Projetos do CRR. Na ocasião, a coordenadora Tania Maria apresentou a trajetória de atividades desempenhadas pelo Centro Regional de Referência desde 2010. Ela explicou que o CRR, por meio de profissionais da UFG, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), do Sistema Único de Saúde (SUS), Sistema Único de Assistência Social (Suas) e Sistema Judiciário de Goiás, oferece cursos na modalidade presencial para técnicos das diversas categorias que atuam na rede de atenção integral à saúde e assistência social e lidam com usuários de crack e outras drogas.

Participantes do Seminário Universidade, CRR e Intervenção Social

Docentes, técnico-administrativos, estudantes e interessados participaram do evento

De acordo com Tania Maria, o CRR atendeu, em 2011 e 2012, 42 municípios, ministrando oito cursos em Goiânia e Catalão e formando 315 profissionais. “Acreditamos que esse projeto foi tão bem aceito pela comunidade, que ele deverá continuar. As demandas internas e externas só têm aumentado”, disse. Para ela, a maior contribuição que o centro conseguiu foi fazer com que aquele que participasse dos cursos mudasse o olhar sobre o usuário de drogas.

A pró-reitora Giselle Ottoni também destacou a mudança do olhar dos participantes como a principal característica das atividades do centro. “Todo projeto de extensão da universidade busca a intervenção e a transformação social. Se o CRR conseguiu mudar visões, ele já conseguiu transformar parte da sociedade”, concluiu. Da mesma forma, a presidente da Abramd, Maria Fátima Sudbrack, apontou a importância das pesquisas e dos estudos serem aplicados na sociedade.

O presidente da Comissão da Política Institucional sobre Drogas na UFG, Eriberto Bevilacqua, aproveitou a ocasião para apresentar os objetivos do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Drogas e Outras Dependências (Neped). Segundo ele, o núcleo pretende reunir pesquisadores de diversas áreas interessados pela temática (saiba mais aqui).

CONFERÊNCIA

Secretário Vitore André

Secretário Vitore André e professora Tania Maria da Silva

Vitore André, secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, trouxe para o evento um panorama sobre os debates ocorridos em todo o País, envolvendo a temática de drogas e outras dependências. De acordo com ele, os pesquisadores sempre polemizam a velocidade para identificação de substâncias nas drogas apreendidas pela polícia, a dificuldade para analisarem produtos controlados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e as modalidades de tratamento.

Mesmo com as polêmicas que envolvem esses assuntos, o secretário destacou uma unanimidade de opiniões: “Prevenir é o melhor caminho para reduzir o consumo das drogas”, disse. Para ele, a última pesquisa do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) revelou que todas as drogas tiveram consumo reduzido pelos alunos do ensino médio, com exceção da cocaína. Para Vitore André afirmou ainda que esse dado é um dos reflexos da capacitação de professores do ensino básico e médio: “O Brasil tem uma rede de professores pensando e debatendo com gestores sobre as políticas das drogas, tudo pelo o intermédio das universidades. Cada vez mais queremos que CRRs nos ajudem nesse trabalho”.

 

 

Categorias: última hora CRR DROGAS seminário