Weby shortcut
Bandeira Reino Unido
Youtube da UFG
Instagram da UFG
Picasa da UFG
Radio universitária
TV UFG

Funape e Editora UFG lançam livros

Por Júlia Mariano. Criada em 15/04/13 01:48. Atualizada em 21/08/14 11:48.
Coleção Funape conta com 10 obras de pesquisadores da UFG

Texto: Júlia Mariano

Fotografias: Ana Maria Antunes

Na noite do dia 11 de abril, a Biblioteca da Praça Universitária recebeu professores, estudantes, servidores e pessoas da comunidade externa à universidade para o lançamento de 10 livros da Coleção Funape, selecionados por meio do Edital 01/2011.

A diretora da Editora UFG, Maria das Graças Monteiro, disse que o processo de seleção dos livros contemplados no Edital contou com grande parceria da Funape, fortalecendo a política editorial da Editora. Ela ressaltou a diferença entre livros impressos e livros publicados pela Editora e mencionou o longo processo desde a aprovação dos projetos no edital até a publicação das obras que estavam sendo lançadas. Graça disse que existe uma grande exigência da academia para que os professores publiquem livros, mas lembrou a importância desse livros terem qualidade e enfatizou o papel que o livro tem de prestar contas do que o seu autor produz, além de ser um resultado concreto, palpável, do trabalho e das pesquisas dos professores.


Cláudio Leles, diretor da FUNAPE, afirmou estar lisonjeado com o entusiasmo da professora Graça, disse que se orgulhava da parceria feita com a Editora e declarou torcer para que outras parcerias sejam viabilizadas, produzindo resultados positivos. Ele agradeceu o talento e o esforço dos autores e lembrou que o Edital que tornou possível a produção dessa coleção era um ato comemorativo dos 30 anos da Funape.

A pró-reitora de pesquisa e pós-graduação, Divina das Dores de Paula Cardoso esteve no lançamento e disse que se orgulha de ser conselheira da Funape e ressaltou a importância da ação conjunta da Editora e da Funape, que dá visibilidade tanto ao ensino de qualidade quanto às pesquisas, igualmente de grande qualidade, desenvolvidas por professores da UFG. Ela enfatizou o importante papel dos livros lançados em socializar conhecimentos produzidos por meio de pesquisas e lembrou que o papel de um livro para quem o utiliza “é inigualável e não tem preço”, finalizou.

O reitor da UFG, Edward Madureira Brasil parabenizou a professora Maria das Graças Monteiro pela qualidade do trabalho desenvolvido e pela dedicação no Cegraf. Ele saudou os professores autores dos livros e também os que compareceram no lançamento dos livros da Coleção Funape.

Os autores

Feliz com o resultado, o professor da Faculdade de Ciências Sociais, Pedro Mundim, foi um dos professores contemplados no Edital. Autor do livro “Imprensa e voto nas eleições presidenciais brasileiras de 2002 a 2006”, ele explicou que esse livro é resultado de sua tese de doutorado e que o valor desse trabalho já tinha sido reconhecido pela comunidade acadêmica. Ele afirma que ter sido contemplado no Edital foi mais um reconhecimento desse trabalho, fechando com chave de ouro uma etapa de sua vida. Mundim ressaltou a beleza e a qualidade do livro e parabenizou a Editora UFG pela edição tão bem feita e cuidadosa.
As professoras da Facomb Suely Gomes e Flávia Martins dos Santos, autoras do livro “Do segundo corpo: investimentos na imaterialidade”, receberam a notícia da aprovação no Edital como um feedback de que estão no caminho certo. O livro é resultado da dissertação de mestrado de Flávia, orientada pela professora Suely, que disse estar orgulhosa de ver jovens buscando o caminho da pesquisa e crescendo academicamente. As autoras contam que o interesse por temas relacionados ao corpo, à subjetividade e a cibercultura surgiram desde a graduação de Flávia, em Relações Públicas, tomando corpo entre 2008 e 2010, quando realizou o mestrado no programa de pós-graduação da Facomb.
Autora do livro “Catadores de sucata da indústria cultural”, a professora da FAV e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual, Alice Fátima Martins, explicou que o livro é resultado de sua pesquisa do Pós Doutorado, realizado em 2009 na UFRJ. Apesar de já ter organizado coletâneas e publicado capítulos de livros, essa foi sua primeira obra publicada como autora. Ela apontou a falta de editais e espaços específicos voltados para a produção de pesquisa em Universidades Públicas e apontou esse Edital como a primeira iniciativa que atende a demanda específica de publicar livros de professores que realizam pesquisas, garantindo espaço de visibilidade, cuidado editorial, revisão e um conjunto de crivos que garantem a qualidade da coleção publicada.


Conheça os livros da Coleção Funape:


Imprensa e voto nas eleições presidenciais brasileiras de 2002 a 2006 – Pedro Santos Mundim
O livro analisa o desenvolvimento das pesquisas sobre o comportamento político, os efeitos da mídia e o seu papel nas eleições no Brasil. Na tentativa de conciliar ciência política e comunicação, o autor apóia-se em métodos estatísticos consistentes, combinando inovação teórica e sofisticação metodológica, trazendo uma grande contribuição para o estudo das ciências sociais no Brasil.

Epopéia em dias de prazer: uma história do lazer na natureza (1779-1838)- Cleber Dias
Na contramão de interpretações históricas correntes sobre o lazer, o autor considera, neste livro, que o uso do tempo livre remete ao quartel final do século 18, quando alguns segmentos das elites brasileiras inventaram novas formas de diversão, entre quais alguns lazeres na natureza, como piqueniques, excursões ou fins de semana em casas de campo.

Catadores de sucata da indústria cultural – Alice Fátima Martins
O livro discute a produção em excesso da indústria cultural no campo do simbiótico, com recorte na produção de narrativas no cinema. Ao entrar no universo de três fazedores de cinema e um exibidor de filmes, que têm em comum a capacidade de atuação em condições precárias , a autora propõe algumas reflexões sobre as tensões da cultura contemporânea, seus cenários, personagens e a problematização da produção de mercadoria cultural em excesso.

Gente sem sorte: A invenção dos mulatos no Brasil Colonial – Raimundo Agnelo Soares Pessoa
Ao examinar algumas referências aos mulatos nos escritos coloniais, o autor observa várias menções de matizes caluniadores e constata que os mulatos não eram nem cativos nem homens livres, e que nem sempre tinham êxito quando tentavam melhorar a sua posição social. Jogando com as palavras, o autor diz que os mulatos eram mesmo, na sua maioria, gente sem sorte.

Formação de professores no curso de Pedagogia: possibilidades curriculares
– Sandra Valéria Limonta
O livro discute o modo como se concretizam as políticas educacionais para o ensino superior e para a formação de professores no Brasil, inseridas, por sua vez, nas mudanças ocorridas na organização do trabalho ao longo das últimas décadas. O debate ajuda a abrir caminhos para o planejamento e desenvolvimento do currículo do curso de Pedagogia e no processo de formação de professores da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental.

A universidade brasileira: instituição formadora e organização administrada – Anegleyce Teodoro Rodrigues
Neste livro, a autora questiona o sentido e a finalidade das reformas acadêmicas da Universidade Federal de Goias (UFG): a de 1983, que passa do regime de créditos e inscrição em disciplinas para o regime seriado anual; e a de 2002, que retornou ao regime semestral de inscrição em disciplinas, com a aprovação do Regulamento Geral de Cursos de Graduação (RGCG).

Do segundo corpo: investimentos na imaterialidade – Flávia Martins dos Santos; Suely Henrique de Aquino Gomes
O livro aborda o destino da corporeidade, fazendo uma reflexão sobre as novas configurações do biopoder e as lógicas de consumo que regem o corpo pós-moderno. Aborda ainda as contraditórias relações estabelecidas pelo corpo, baseadas em uma sociedade cada vez mais conectada em rede, em que o ciberespaço propicia novas experiências corporais e subjetivas.

Projeto de ponte em concreto armado com duas longarinas – Daniel de Lima Araújo
O livro detalha, de maneira didática, o projeto estrutural de uma ponte em concreto armado com duas longarinas. Este é um sistema estrutural típico para pontes utilizado em todo o Brasil e, em razão de sua simplicidade, normalmente é o primeiro a ser ensinado em cursos de pontes. Pela simplicidade do texto, este pode ser um livro básico para consulta pelos alunos de Engenharia Civil e pelos profissionais que trabalham com projeto de pontes de concreto.

A produção do território goiano: economia, urbanização, metropolização
– Tadeu Alencar Arrais
Resultado de estudos inéditos sobre o território goiano, o livro busca demonstrar o modo como as transformações na paisagem regional repercutem em nosso cotidiano. O autor faz uma análise do território e as forças que nele atuam por meio da economia, da urbanização e da metropolização e abordas as mudanças no cenário político-econômico nacional e mundial que afetaram a realidade de Goiás.

Território e significações imaginárias no pensamento geográfico brasileiro
– Ana Cristina da Silva
O livro é uma proposição que se pretende original e comprometida com o pensamento geográfico brasileiro contemporâneo. A autora busca investigar a ultrapassagem da fronteira entre história da geografia e história do pensamento geográfico e compreender o que os geógrafos fazem e o que pensam de seu fazer.

Fonte: Ascom/UFG