Reino Unido
CEIA

Conquista do INF/UFG abre portas para pesquisas de Inteligência Artificial

Criada em 26/05/20 13:28. Atualizada em 26/05/20 13:42.

O Centro de Excelência de Inteligência Artificial obteve credenciamento junto a Organização Social que irá lhe permitir auto financiar pesquisas de inovação na área

Caroline Pires


A partir de agora o Instituto de Informática da UFG entra definitivamente no rol de desenvolvedor de pesquisas de ponta na área de Inteligência Artificial no Brasil. O Centro de Excelência de Inteligência Artificial (INF/UFG) passará a receber recursos para auto financiar seus projetos de forma mais simples e desburocratizada graças ao credenciamento obtido junto a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Emprapii), Organização Social ligada ao Ministério da Educação e Ministério da Ciência, Tecnologias, Inovação e Comunicações que financia ações de pesquisa e inovação. Apenas 11 universidades federais possuem grupos de pesquisas credenciados junto à instituição, que a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) participa como membro integrante do seu conselho. A criação do curso de bacharelado em Inteligência Artificial havia sido aprovado pelo Conselho Universitário da UFG em agosto de 2019.

O professor Anderson Soares (INF/UFG) explica que o credenciamento foi possível por meio de uma seleção pública nacional de diversos grupos de pesquisa. "Nosso grande desafio foi demonstrar que era possível transformar projetos científicos de Inteligência Artificial, desenvolvidos aqui na UFG, em projetos de inovação", explicou. Segundo ele, a entidade é bastante criteriosa na seleção dos projetos e o credenciamento abre uma porta sem precedentes para o desenvolvimento da área no estado de Goiás. "A partir de agora a Embrapii financia 1/3 do valor dos projetos o que nos permite gerir o fundo de forma a mitigar os riscos do seu desenvolvimento", ressaltou. Para exemplificar o impacto da conquista, Anderson Soares lembra que desde 2017 o INF desenvolve o programa Harpia, em parceria com o Instituto de Identificação do Estado de Goiás, que visa permitir a identificação de suspeitos por meio de reconhecimento facial. O professor explica que o fundo da Embrapii é voltado para iniciativas que possam gerar desenvolvimento econômico e que pesquisas, como o do Harpia, podem ser desenvolvidos junto a uma empresa privada.

O diretor do Instituto de Informática (INF/UFG), professor Sérgio Teixeira de Carvalho, lembra que a unidade acadêmica da UFG está há vários anos caminhando a passos largos na área da Inteligência Artificial e que a conquista lança o Centro de Excelência, a graduação e a pós-graduação do INF/UFG definitivamente no cenário nacional e internacional como referência em pesquisa. "Seremos desafiados todos os dias a seguir trabalhando com eficiência na área da Inteligência Artificial, que está em plena efervescência em todo o mundo. Esta conquista projeta a UFG e acredito que muito em breve já iremos colher os bons resultados dessa certificação", comemorou. O diretor lembra ainda que o Centro de Excelência em IA já conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) e entidades públicas e privadas do estado.

Fonte: Secom/UFG

Categorias: Notícias inf