Weby shortcut
Reino Unido
Audiência Parque Tecnológico 18-1-19

Parque tecnológico é tema de audiência pública na UFG

Criada em 19/11/19 09:31. Atualizada em 19/11/19 11:03.

Representantes da academia e do poder público se reuniram para debater os gargalos para a consolidação do Parque Tecnológico Samambaia

Texto: Versanna Carvalho

 

A Universidade Federal de Goiás (UFG) sediou a audiência pública proposta pelo vereador Gustavo Cruvinel (PV) para discutir caminhos para o desenvolvimento do Parque Tecnológico Samambaia. O debate foi realizado no Auditório da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PRPI), no Câmpus Samambaia da UFG, nesta segunda-feira (18/11).

Dentre os participantes, destacam-se o reitor da UFG, Edward Madureira, a vice-reitora, Sandramara Matias, o pró-reitor de Pesquisa e Inovação, Jesiel Carvalho, a pró-reitora adjunta de Pesquisa e Inovação, Helena Carasek, o representante do prefeito Íris Rezende e secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedtec), Celso Camilo, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos Vieira, superintendente executivo de Ciência e Tecnologia da Sedi, Márcio César Pereira, o diretor do Parque Tecnológico Samambaia, Luizmar Adriano Júnior, o representante do deputado federal Vitor Hugo (PSL-GO), Marcelo Conrado, o presidente da FUNTEC, Lázaro Xavier, o presidente da FUNAPE, Orlando Amaral, e o próprio vereador que idealizou a reunião.

Audiência Parque Tecnológico 18-1-19
Edward falou da necessidade de incentivar empresas a se instalarem no Parque (Fotos: Carlos Siqueira)

 

Segundo Luizmar, as principais demandas do Parque Tecnológico Samambaia, que é o primeiro parque tecnológico de Goiás a entrar em funcionamento, são de infraestrutura urbanística como arruamento, iluminação pública, redes de saneamento. “Resolvidas essas questões, teremos cada vez mais condições de colocar novas empresas, laboratórios de P&D [Pesquisa e Desenvolvimento] e outras instituições que fazem esse ecossistema funcionar”, comenta.

Sobre a legislação voltada à inovação, Luizmar acredita que é preciso fazer algumas adequações. “As novas leis, principalmente a federal [Lei nº 10.973/2004] e o novo marco legal [Lei nº 13.243/2016], trouxeram inúmeras novidades. Seria muito oportuno se essas novidades fossem adequadas para as legislações estadual e municipal”, pontua.

O vereador Gustavo Cruvinel se colocou à disposição para contribuir para o atendimento das principais demandas do Parque Tecnológico Samambaia e de participar do diálogo que já está em andamento com a Prefeitura Municipal. "Os parques tecnológicos são de grande importância para o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia em Goiânia e em Goiás", diz.

Maturidade

Para o reitor da UFG, Edward Madureira, a relação entre academia, poder público e setor produtivo já existe há algum tempo e atingiu a maturidade. “Hoje o Parque Tecnológico depende de algumas questões na legislação para incentivar que mais empresas se instalem aqui e ainda temos gargalo da infraestrutura que está sendo discutido com a Prefeitura de Goiânia e com o governo do Estado, contando com o apoio do vereador Gustavo Cruvinel”.

Edward Madureira ressalta que as emendas ao orçamento (da União, do Estado e do Município) se constituem em um mecanismo importante de fomentar inúmeras ações. “As emendas ao orçamento destinadas à inovação tecnológica são muito bem-vindas e podem ajudar muito a solucionar os atuais entraves para o aumento da ocupação do Parque Tecnológico Samambaia”, complementa.

Integração

O representante do deputado federal Vitor Hugo de Araújo Almeida (PSL-GO) que é presidente da Frente Parlamentar Mista de Apoio aos Parques Tecnológicos, foi representado pelo assessor parlamentar Marcelo Conrado. "Hoje o Brasil conta com pouco mais de 100 parques tecnológicos. O desafio é fazer a integração entre academia, empresas e governo e contribuir para a viabilização e consolidação desses espaços. Os recursos são poucos e devem ser bem aplicados", pondera.

Marcelo Conrado comenta ainda a existência da minuta de um projeto, que deve passar pela análise do governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e ser enviado ao presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, para a realização de um estudo de viabilidade técnica e econômica dos parques tecnológicos. "O que nós estamos tentando implantar aqui em Goiás vai servir de modelo para o Brasil”.

Audiência Parque Tecnológico 18-1-19

Fonte: Reitoria Digital

Categorias: notícias