Weby shortcut
Reino Unido
Loja Agro Centro Oeste

Inauguração de loja colaborativa é sucesso no Passeio das Águas

Por Gustavo Motta. Criada em 16/11/18 14:38. Atualizada em 17/11/18 14:02.

Em parceria com UFG, empreendimento visa comercializar produtos da agricultura familiar

Texto: Gustavo Motta

Fotos: Carlos Siqueira

Em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), expositores da Feira Agro Centro-Oeste Familiar, oriundos de diferentes regiões, inauguraram uma loja colaborativa no Shopping Passeio das Águas. O evento, realizado na última quarta-feira (14), contou com um coquetel aberto ao público. Quem passava pelo local teve a oportunidade de experimentar geleias, licores, biscoitos, tapiocas e outras guloseimas tradicionais - além de adquirir esses produtos sob preços competitivos. O espaço fica aberto ao público até 30 de novembro.

O coordenador da feira, professor Gabriel Medina, destacou que a iniciativa empreendedora partiu de 11 produtores familiares. “Ao todo, a loja vai contar com muitos tipos de produtos, negociados diretamente com as cooperativas e associações aqui presentes, sendo que o baixo custo dos produtos é o nosso grande diferencial!”, comemorou. Entre os artigos disponíveis à venda, constam produtos orgânicos, mel, derivados do leite, bebidas tradicionais, cosméticos, artigos de artesanato, entre outros.

Coquetel

Coquetel aberto ao público permitiu degustação de produtos, como biscoitos, cachaças, licores e geleias

Empreendedorismo

“Esses empreendedores representam a diversidade da produção familiar, incluindo produtores da lavoura orgânica, de derivados do leite, compotas, cachaças, e bens oriundos do extrativismo”, apontou. A loja é resultado da experiência obtida  ao longo das edições da Agro Centro-Oeste Familiar: “sentimos que os nossos expositores estavam se especializando e se aprimorando em grande velocidade - melhorando as embalagens, a composição dos produtos e fazendo adequações às normas de vigilância sanitária”. Nesse sentido, foi proposto o desafio de se apresentar os produtos em um grande shopping.

“O que atrai nosso público é a possibilidade de se comprar direto de quem produz e, por isso, sob preços baixos”, aponta. Ademais, o espaço exerce uma função educativa, por meio de informações ao consumidor sobre os processos criativos, procedências e origens regionais de cada artigo, transmitidas por quem os conhece melhor. Uma dos expositoras presentes no local, Maria Cavalcante, confirma: “as pessoas chegam com curiosidade de saber as origens dos nossos itens e as propriedades benéficas que os produtos naturais propiciam”.

A expositora representa a Cooperativa de Apicultores e Agricultores Familiares do Norte Goiano (Coopermel), que disponibiliza tipos de mel e castanhas de baru à comercialização na loja. A cooperativa surgiu em 2005, tendo a apicultura como atividade principal. Contudo, a organização ainda colabora com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e oferece itens de hortifruti ao mercado local, como frutas, folhas e verduras. O vice-presidente da Coopermel, Getúlio de Araújo, destacou que o ente coletivo, sediado em Porangatu (norte goiano), conta com cerca de 60 cooperados em atividade.

Getúlio

Presidente da Coopermel avalia que oportunidade é positiva para a expansão de negócios

Regionalidade

Um dos produtos-destaque na loja é o polvilho de cará, um tipo de caule subterrâneo semelhante à mandioca. Esse item foi trazido pela Cooperativa Mista dos Pequenos Produtores de Polvilho e Derivados da Mandioca da Região do Cará (Cooperabs), sediada na zona rural de Bela Vista de Goiás (sudeste goiano), em uma zona conhecida como “Região do Cará”. José Atair Neto, presidente da entidade, destaca que o trabalho coletivo surgiu em 2005 e oferece, além do polvilho, massas para tapioca e mandioca processada para a produção caseira de mané-pelado, entre demais itens.

“Acreditamos muito no cooperativismo e valorizamos o nosso trabalho, pois o pequeno produtor é quem coloca comida na mesa do brasileiro”, defende. Atualmente, a organização conta com 52 famílias produtoras, sendo que grande participação nos negócios é protagonizado pelas mulheres locais. “Ainda contamos com muitos jovens, e temos inovado em tecnologia, com fábricas para processar farinhas e demais derivados da raiz”. Quem passou pelo local teve a oportunidade de conhecer os produtos da Cooperabs e saborear a tapioca produzida com o derivado do cará.

polvilho de cará

Itens processados do cará estão entre destaques da loja - produto é cultivado nas proximidades de Bela Vista desde os anos 1950

Transformação

Outra entidade produtora que tem apostado na tecnologia é a Cooperativa Agropecuária Mista de Bela Vista de Goiás (Cooperbelgo), que conta com 2.052 associados. Raphael Gomide, um dos representantes da coletivo empreendedor, destacou as atividades industriais da cooperativa, como a transformação do leite em laticínios, como manteigas e iogurtes. “Ainda temos uma fábrica de ração, posto de combustíveis, supermercado e a nossa fábrica de laticínios”. A Cooperbelgo também colabora com a destinação dos derivados do leite à alimentação escolar, por meio do PNAE.

Quem passar pelo espaço vai poder adquirir tapetes, caixas, vasos, estátuas e outras peças do artesanato regional. “Trouxemos tapetes produzidos em tiras de malha, mini-adegas, porta-condimentos e miniaturas em madeira - como carrinhos de boi e locomotivas”, destacou Janete de Melo, da Associação dos Artesãos de Vianópolis (Artevi), município do sul goiano. A produtora conta que o público tem recebido bem os produtos. “Estão até lamentando que a loja seja temporária”, lembrou.

A entidade é formada por cerca de 20 associados, sendo que o trabalho coletivo ocorre há aproximadamente 15 anos. Janete conta que, muitas vezes, os pequenos produtores não têm acesso aos locais de comércio. Nesse sentido, “expor o que produzimos, dentro de um grande shopping, e atrair a atenção das pessoas, é algo muito animador e recompensante”. Ademais, a artesã de Vianópolis elogiou a iniciativa: “o espaço é muito significativo para essas famílias, que fabricam uma variedade tão grande de produtos”, concluiu.

Bonecas de pano

Bonecas de pano estão entre as peças de artesanato que podem ser adquiridas por quem passa no local

Espaço

O espaço vai ficar disponível para a exposição e comercialização dos produtos até o dia 30 de novembro, aberto ao público de segunda a sábado, entre as 10h e 22h. A loja ainda vai ficar aberta aos domingos, entre as 14h e 22h. Além da comercialização dos bens, serão efetuadas inscrições para as atividades da Agro Centro-Oeste Familiar 2019. Getúlio Araújo acredita que a iniciativa permite, aos pequenos produtores, mostrar seu trabalho para um público mais amplo, e estabelecer novas parcerias de mercado: “para a gente, trata-se de uma grande oportunidade para a expansão dos nossos negócios”, comemorou.

“A nossa proposta é relevante, pois permite dar visibilidade ao setor produtivo - e condiciona a inserção comercial dos agricultores por meio do aprimoramento das técnicas de produção, processamento, embalagem e comercialização”, destacou Gabriel Medina. Os expositores participaram de cursos e receberam consultorias especializadas para a abertura do espaço, oferecidas por professores do curso de Engenharia de Alimentos da UFG. “Ainda tivemos a oportunidade de criar outra loja como essa, no Shopping Cidade Jardim”, comemorou.

Gabriel Medina

Professor Gabriel Medina: proposta permite dar visibilidade ao setor produtivo - e condiciona a inserção comercial dos agricultores

Loja II

“Uma representante do shopping concorrente passou por aqui e achou a nossa iniciativa incrível”, destacou. Nesse sentido, foi proposta a instalação de outra loja, que atenda às demandas do público na região do Bairro Cidade Jardim. O segundo empreendimento vai contar com a participação de outras seis entidades produtoras, e deve abrir as portas no dia 01 de dezembro. “Estamos planejando como vai ficar esse novo espaço”, afirmou o professor, que marcou uma reunião no mesmo dia com representantes dos empreendedores que vão expor seus produtos na segunda loja.

Iva Ana Rezende espera que o segundo empreendimento seja outro sucesso. Ela ocupa a presidência da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Região de Bom Sucesso (Apro-Bom), com sede no município de Nazário, localizado no centro goiano. “Nós vamos trazer derivados de pimenta e mandioca, como geleias e polvilho, além de frutas in natura”. A associação conta com 26 membros, sendo que a produção dos itens processados é gerida por um grupo de mulheres. “Ainda comercializamos polpas de frutas - produtos que destinamos para a merenda escolar”.

Nesse sentido, as expectativas para a segunda loja colaborativa são as melhores: “queremos gerar renda e lucro, além de apresentar o nosso trabalho para um público amplo”. Expectativas semelhantes tem Janice Filgueira, da Cooperativa Agroindustrial Familiar do Sudoeste Goiano (Coopfas), situada no município de Jataí. “fizemos essa parceria para a nova loja, e esperamos vender muitos dos nossos produtos”. A expositora conta que a cooperativa atua com produção e comércio de frutas e verduras, e ainda fabrica pães, biscoitos, farinhas e temperos.

Arroz integral

Doces, pimentas e produtos integrais estão disponíveis para a comercialização sob preços acessíveis

Feira

A Agro Centro-Oeste Familiar é uma feira de exposições que chega com sucesso à Edição 2019. O evento será realizado no Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal, localizado no Campus Samambaia da UFG. A programação vai ocorrer ao longo de quatro dias (29 de maio a 01 de junho), com estandes, comércio de produtos, cursos, visitas a espaços de cultivo, exposição de tecnologias agrícolas e apresentações culturais.

Fonte: Secom/UFG

Categorias: notícias