Weby shortcut
Reino Unido
8M café

Reitoria recebe mulheres com café da manhã

Por Patricia Veiga. Criada em 08/03/18 13:20. Atualizada em 09/03/18 16:37.

Evento foi parte da programação da campanha Março Mulher Interinstitucional

Texto: Patrícia da Veiga

Fotos: Ana Fortunato

“Quero ressaltar o papel que as mulheres têm no contexto da Universidade Federal de Goiás (UFG). Docentes, servidoras técnico-administrativas, terceirizadas, estudantes: estamos todas demonstrando, nos diferentes espaços, o quanto somos capazes. Parabéns a todas!”. Foi com essas palavras que a vice-reitora Sandramara Matias Chaves recebeu as trabalhadoras da Reitoria na manhã deste oito de março. Na oportunidade, foi servido um café da manhã em reconhecimento ao Dia Internacional da Mulher.

café da manhã 8M

Reitoria ofereceu café da manhã para trabalhadoras nesta quinta-feira

Em sua fala, Sandramara abordou o tema da violência contra a mulher e destacou a importância de a universidade enfrentar essa realidade: “Goiás figura entre os estados brasileiros com mais casos de agressão. Essa é uma triste posição que demonstra que há muito a ser feito e, nesse sentido, a universidade tem papel fundamental. Para além da formação técnico-científica, devemos educar para a diversidade e em respeito às diferenças”.

A professora mencionou as ações que a UFG vem fazendo nesse sentido, como a campanha contra o assédio sexual que será lançada no dia 14/3, no pátio das Humanidades. “Pretendemos desenvolver uma série de ações pedagógicas no que diz respeito à questão do assédio moral, sexual e do preconceito. Muito mais do que a dimensão punitiva, precisamos trabalhar a formação, para que as atitudes mudem. Depois que um fato violento acontece, temos pouco a fazer”, afirmou.

café da manhã_março mulher_Sandramara Matias Chaves

Vice-reitora parabenizou trabalhadoras e ressaltou papel da universidade na luta contra o assédio e a violência

Machismo

Antes de o café da manhã ser servido, a violonista e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Música da UFG, Laís Fujiyama, apresentou três peças do cancioneiro brasileiro: Valsa Choro n° 1, de Camargo Guarnieri; Lamentos do Morro, de Garoto; e Graúna, de João Pernambuco. Ao comentar o repertório escolhido, situado entre o erudito e o popular, a violonista falou sobre as dificuldades de apresentar composições feitas por mulheres. “O mundo da música ainda é machista e, tanto na academia quanto na indústria, precisamos lutar muito para sermos reconhecidas”, observou.

Laís, que veio de Campo Grande (MS) para cursar pós-graduação, fez questão de mencionar o nome de sua colega de profissão e conterrânea Mayara Amaral. Feminista e musicista, ela fez Mestrado na UFG e, um ano atrás, defendeu dissertação sobre as compositoras da década de 1970 no Brasil. “Precisamos lembrar de Mayara, ela deixou um trabalho importante. Ainda há poucas pesquisas sobre mulheres no mundo da música”, afirmou Laís, em entrevista. No mesmo ano em que se tornou mestra, Mayara retornou à sua cidade e, de forma brutal, entrou para a lista das mulheres vítimas de feminicídio.

Lais Fujiyama

Violonista Lais Fujiyama abriu celebração do dia Internacional da Mulher no prédio da Reitoria

Março Mulher Interinstitucional

O evento integrou a programação da campanha Março Mulher Interinstitucional, que está sendo feita pela UFG em parceria com Instituto Federal de Goiás (IFG), Instituto Federal Goiano (IFGoiano), Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg), Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições de Federais de Ensino Superior em Goiás (Sint-Ifes), Associação de Pós-Graduandos de Goiás (APG) e Diretório Central dos Estudantes (DCE). Foi organizada uma série de atividades para todo o mês e a programação completa está disponível neste link.

As imagens do evento podem ser conferidas aqui.

Fonte: Ascom/UFG

Categorias: Última hora 8M